JESUS CRISTO

JESUS CRISTO
SEM JESUS CRISTO NADA SOMOS - NOSSA OBRIGAÇÃO COMO CRISTÃOS - DIVULGAR CADA VEZ MAIS SEU NOME E SEUS ENSINAMENTOS - PORQUE SÓ ELE SALVA

domingo, 23 de setembro de 2012

Filho do Homem entregue nas mãos dos homens


O Filho do Homem entregue nas mãos dos homens


Irmão e irmãs, como discípulos missionários, ouvintes da palavra, neste Domingo fazemos memória do Cristo que veio como servidor dos pequenos.

Ele nos ensina que quem quer ser o primeiro deverá ser o último. E que, em vez de competir, deverá servir.

Dispostos a nos tornarmos companheiros na missão.

A revelação do caminho de Jesus como o servo que enfrentará a morte injusta desafia os discípulos, presos a idéia de um Messias rico e poderoso.

É necessário tornar-se criança e assumir o serviço gratuito. Eis o grande desafio...

Colocar-se a serviço da comunidade exige humildade. Examminemos nossa consciência e peçamos perdão pelas vezes que buscamos ser mais importantes que nossos irmãos e irmãs, causando desunião e discórdia em nossa comunidade, em nossa família ou em nosso trabalho.


LEITURA DA CARTA DE SÃO TIAGO (tg 3, 16 – 4,3)

Caríssimos: “Onde há inveja e rivalidade, ai estão as desordens e toda espécie de obras más.

Por outra parte, a sabedoria que vem do alto é, antes de tudo, pura, depois pacífica, modesta, conciliadora, cheia de misericórdia e de bons frutos, sem parcialidade e sem fingimento,

O fruto da justiça é semeado na paz para aqueles que promovem a paz.

De onde vêm as guerras? De onde vêm as brigas entre vós? Não vêm, justamente das paixões que estão em conflito dentro de vós?

Cobiçais, mas não conseguis ter. Matais e cultivais inveja, mas não conseguis êxito. Brigais e fazeis guerra, mas não conseguis possuir. É a razão esta em que não pedis. “Pedis, sim, mas não recebeis, porque pedis mal. Pois só quereis esbanjar o pedido nos vossos prazeres.



VÍDEOS INDICADOS POR NOSSO BLOG

domingo, 9 de setembro de 2012

Consagração ao Preciosíssimo Sangue de Jesus Cristo


Consagração ao Preciosíssimo Sangue de Jesus Cristo



Senhor Jesus cristo, em nome, e com o poder de vosso Sangue Precioso, selamos cada pessoa, fato ou acontecimento através dos quais o inimigo nos queira prejudicar.

Com o poder do Sangue de Jesus, selamos toda potência destruidora no ar, na terra, na água, no fogo, abaixo da terra, nos abismos do inferno e no mundo no qual hoje nos moveremos.

Com o poder do Sangue de Jesus, rompemos toda interferência e ação do Maligno. Pedimos-vos, Senhor, que envieis aos nossos lares e locais de trabalho a Santíssima Virgem Maria, acompanhada de São Miguel, São Gabriel, São Rafael e toda sua corte de santos anjos.

Com o poder do Sangue de Jesus, lacramos nossa casa, todos os que a habitam (nomear a cada um), as pessoas que o senhor a eles enviará, assim como todos os alimentos e os bens que generosamente nos concede para nosso sustento.

Com o poder do Sangue de Jesus, lacramos terra, portas, janelas, objetos, paredes e pisos, o ar que respiramos e na fé colocamos um círculo de seu Sangue ao redor de toda nossa família.

Com o poder do Sangue de Jesus, lacramos os lugares onde vamos estar neste dia e as pessoas, empresas e instituições com quem vamos tratar.

Com o poder do Sangue de Jesus, lacramos nosso trabalho material e espiritual, os negócios de nossa família, os veículos, as estradas, os ares, as ruas e qualquer meio de transporte que haveremos de utilizar.

Com o vosso Preciosíssimo Sangue, lacramos os atos, as mentes e os corações de nossa Pátria afim de que vossa paz e vosso Coração ao fim nela possam reinar.

Nós vos agradecemos Senhor, por vosso Preciosíssimo Sangue, pelo qual nós fomos salvos e preservados de todo mal. Amém.


Ladainha ao Preciosíssimo Sangue de Jesus Cristo

Senhor tende piedade de nós.
Cristo tende piedade de nós.
Senhor tende piedade de nós.

Jesus Cristo, ouvi-nos.
Jesus Cristo atendei-nos.

Deus Pai dos céus tende piedade de nós.
Deus Filho, redentor do mundo tende piedade de nós.
Deus Espírito Santo tende piedade de nós.
Santíssima Trindade, que sois um só Deus, tende piedade de nós.

Sangue de Cristo, Sangue do Filho Unigênito do Eterno Pai, salvai-nos.
Sangue de Cristo, Sangue do Verbo de Deus encarnado, salvai-nos.
Sangue de Cristo, Sangue do Novo e Eterno Testamento, salvai-nos.
Sangue de Cristo, correndo pela terra na agonia, salvai-nos.
Sangue de Cristo, manando abundante na flagelação, salvai-nos.
Sangue de Cristo, gotejando na coroação de espinhos, salvai-nos.
Sangue de Cristo, derramado na cruz, salvai-nos.
Sangue de Cristo, preço da nossa salvação, salvai-nos.
Sangue de Cristo, sem o qual não pode haver redenção, salvai-nos.
Sangue de Cristo, que apagais a sede das almas e as purificais na Eucaristia, salvai-nos.
Sangue de Cristo, torrente de misericórdia, salvai-nos.
Sangue de Cristo, vencedor dos demônios, salvai-nos.
Sangue de Cristo, fortaleza dos mártires, salvai-nos.
Sangue de Cristo, virtude dos confessores, salvai-nos.
Sangue de Cristo, que suscitais almas virgens, salvai-nos.
Sangue de Cristo, força dos tentados, salvai-nos.
Sangue de Cristo, alívio dos que trabalham, salvai-nos.
Sangue de Cristo, consolação dos que choram, salvai-nos.
Sangue de Cristo, esperança dos penitentes, salvai-nos.
Sangue de Cristo, conforto dos moribundos, salvai-nos.
Sangue de Cristo, paz e doçura dos corações, salvai-nos.
Sangue de Cristo, penhor de eterna vida, salvai-nos.
Sangue de Cristo, que libertais as almas do Purgatório, salvai-nos.
Sangue de Cristo, digno de toda a honra e glória, salvai-nos.

Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, perdoai-nos, Senhor.
Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, ouvi-nos, Senhor.
Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, tende piedade de nós, Senhor.

V. Remistes-nos, Senhor com o Vosso Sangue.
R. E fizestes de nós um reino para o nosso Deus.

Oremos:

Todo-Poderoso e Eterno Deus, que constituístes o Vosso Unigênito Filho, Redentor do mundo, e quisestes ser aplacado com o seu Sangue, concedei-nos a graça de venerar o preço da nossa salvação e de encontrar, na virtude que Ele contém, defesa contra os males da vida presente, de tal modo que eternamente gozemos dos seus frutos no Céu. Pelo mesmo Cristo, Senhor nosso. Assim seja.

Oferecimento

Eterno Pai, eu Vos ofereço o Sangue preciosíssimo de Jesus Cristo em desconto dos meus pecados, em sufrágio das santas almas do Purgatório e pelas necessidades da Santa Igreja e por todos os doentes.

Súplica a Nossa Senhora

Mãe Dolorosa, peço-vos pelo Vosso sofrimento na morte de Vosso Filho, que ofereçais ao Pai Eterno o precioso Sangue que jorrou das Chagas de Nosso Senhor Jesus Cristo Crucificado pelos pobres Sacerdotes transviados, que se tornaram infiéis a sua sublime vocação, para que quanto antes voltem junto ao Bom Pastor.

Fonte: http://www.discursodaalma.com.br


VÍDEOS INDICADOS POR NOSSO BLOG

As Causas das Doenças Espirituais


As Causas das Doenças Espirituais


Sem perceber ou de maneira muito sutil, nós estamos absorvendo a “cultura de morte” destes nossos tempos cada vez mais sem Deus.

Já dizia o nosso saudoso papa João Paulo II: “Precisamos combater essa cultura de morte, ensinando ao nosso povo a cultua da Verdade”. Nesta “cultura” que prega o aborto, o adultério, os pecados capitais de forma engraçada e envolvente, assim estão nos enredando nos laços do maligno, com novelas, filmes, propagandas, por isso, precisamos abrir os olhos e o coração para ficarmos mais espertos. “Sede prudentes como as pombas e ágeis como as serpentes”. (cf Mateus 10,16) Os pecados capitais são doenças espirituais, que se alojam em nossa mentalidade, no nosso comportamento, atingindo a quem comete, mas também aos outros. “O pecado é uma falta contra a razão, a verdade, a consciência reta; é uma falta ao amor verdadeiro, para com Deus e para com o próximo”. (CIC A vida em Cristo, artigo 8; O Pecado).
Eles atingem gravemente a nossa alma, prejudicando também o corpo e as relações sociais, o pecado é uma doença perigosa, que mata de dentro para fora e em silencio. Ensina-nos a Igreja que “o pecado cria uma propensão ao pecado, gera o vicio pela repetição dos mesmos atos”, ai encontra-se um estagio de doença espiritual. São chamados capitais porque geram outros pecados, outros vícios, são o orgulho, avareza, a inveja, a ira, a luxuria, a gula e a preguiça. Diagnosticar é um excelente passo para libertar-se deles, todos nós temos um pouco de cada um deles, não se escandalize. Agora vamos avaliar o que são e como agem em nós.

Orgulho: sentimento de dignidade pessoal, brio, altivez, amor próprio demasiado, soberba, que por sua vez é orgulho excessivo, arrogância, aquele que se julga elevado, acima dos outros. O orgulho tem principio positivo, pois nos da capacidade e o sentimento de preservação pessoal, dignidade, mas quando se torna desequilibrado, é capaz de subjugar os outros, passar por cima, ser sempre superior, humilhar, gera a auto-suficiência e vai ficando cada vez mais serio.

Avareza: é apego sórdido ao dinheiro. Sórdido quer dizer que vem de sordidez, estado de imundície, coisa ou pessoa suja, nojenta, repugnante, infâmia, torpeza. A pessoa avarenta se deixa escravizar e dominar pelo dinheiro ou pelos meios que levam a ele faz qualquer coisa. Ela é escrava do dinheiro e daí pode-se imaginar aonde chega essa pessoa, a corrupção é um dos sintomas mais conhecidos.

Inveja: é um vicio capital que designa a tristeza sentida diante do bem do outro e do desejo incontrolado de sua apropriação, mesmo indevida, não suporta ver a alegria e o sucesso dos outros. A pessoa invejosa é capaz de roubar ou desejar o mal quando dominado por essa doença. Da inveja nasce o ódio, a maledicência, a calúnia, a alegria causada pela desgraça do próximo. Enfim, inveja é arma predileta do demônio.

Ira ou raiva: é um desejo da alma em primeiro lugar contra todo o mal e o pecado, para dele se proteger, mas a ira descontrolada é um desejo de vingança, que é contrario a virtude da justiça. O ódio voluntário é contrario a caridade, quando o homem quer deliberadamente o mau do outro, e chega a cometê-lo prejudicando ou pior, quando chega através da ira a ferir e até matar o seu semelhante, isso é um pecado mortal.

Luxuria ou impureza: é um desejo desordenado, desequilibrado ou um gozo desregrado do prazer venéreo, ou seja, do prazer sexual, que por si é uma coisa boa, a nossa sexualidade é um dom de Deus e foi nos dada para nossa felicidade. A luxuria se caracteriza quando o prazer sexual é normalmente desordenado, quando é buscado por si mesmo, isolado das finalidades de união dos esposos que se amam, e da procriação, filhos que são o cume do prazer sexual, o objetivo do prazer sexual é o amor, que pensa sempre em primeiro lugar realizar o outro. Portanto, a luxuria leva ao pecado da impureza sexual, da fornicação, da pornografia, da prostituição. A pessoa fica escrava do sexo e por ele pode se vender.

Gula: Excesso na comida e na bebida, apego excessivo ao prazer da boca e do estomago, de maneira descontrolada, perdendo o senso da refeição, lugar de encontro e de experimentar o que se come. Quem controla a boca, consegue controlar o resto do corpo, dizia os santos antigos, este pecado da gula está ligado ao pecado sexual. A pessoa gulosa está escrava da comida, vive para comer e não come para viver.

Preguiça ou tibieza: Aversão ao trabalho, indolência, alguém insensível, apático, hesitação ou negligência em responder aos apelos naturais, ao amor de Deus, recusa entregar-se ao dinamismo da caridade. A pessoa preguiçosa fica quase imprestável, a tibieza ou preguiça espiritual chaga a recusar até a alegria que vem de Deus e a ter horror ao bem divino. Nossa como temos pessoas doentes em nossa sociedade, pois decidiram “matar” a Deus.

Como ficar longe de tudo isso? Lembrem-se nós somos templos do Espírito Santo desde nosso batismo, Ele é o dinamismo de Deus e a saúde de nossa alma, por isso, nos convém consultar sempre esse médico, que nos anima e nos protege com os seus dons e virtudes destas doenças espirituais. Veja: “O fruto do Espírito, porem, é: amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, lealdade, mansidão, domínio próprio. Se vivemos pelo Espírito, pelo Espírito pautemos também nossa conduta”. (cf Gálatas 5,22-25). O segredo é a vida espiritual, intimidade com Deus!

Rezemos: Pai Santo e cheio de misericórdia, que conhece os nossos corações e nossas fraquezas, dai-nos uma porção dobrada do Teu Espírito, para fortalecer a nossa alma em busca das virtudes e da santidade, e não nos deixes ser vencidos pelo pecado, mas nos rendamos ao vosso amor, que tudo perdoa. Amém

Minha benção fraterna.

Pe. Luizinho, Com Canção Nova.

CIC é Catecismo da Igreja Católica

Fonte: http://www.discursodaalma.com.br


VÍDEOS INDICADOS POR NOSSO BLOG

Ave-Maria


Ave-Maria



Ave Maria cheia de graça
Ó MARIA CHEIA DE BENÇÃO DE DEUS
o Senhor é convosco
O SENHOR ESTA ENTRE NÓS
bendita sois vós entre as mulheres
ESCOLHIDA ENTRE TODAS AS MULHERES
bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus.
ESCOLHIDO FOI O TEU VENTRE, PARA GERAR JESUS
Santa Maria Mãe de Deus
VIRGEM E PURA MÃE DE DEUS
rogai por nós pecadores
GUIA-NOS E AJUDA-NOS, POIS SOMOS HUMILDES PECADORES.
agora e na hora de nossa morte.
EM TODOS OS MOMENTOS DE NOSSAS VIDAS.
Amém

PARA SEMPRE SEJA LOUVADA
E QUE CUMPRA-SE EM MIM
A TUA VONTADE..
ASSIM SEJA


Fonte: http://www.catequisar.com.br/


VÍDEOS INDICADOS POR NOSSO BLOG

Orações e Preces


Orações e Preces



Santo Afonso, conhecido como Doutor da Oração, foi um homem que muito orou. Em média ele dedicava oito horas diárias de oração.

Todo cristão tem a necessidade absoluta de pedir a Deus a salvação e de como o devemos fazer. Santo Afonso recomendava que todos fizessem pelo menos uma hora de oração diária, além de freqüentes e rápidas preces nas diversas oportunidades do dia. A graça de orar é dada normalmente a todos e, mediante a oração, todos podem obter de Deus os outros auxílios necessários para a salvação.

Sem a oração, segundo a providência ordinária de Deus, serão inúteis todas as meditações, todos os propósitos e todas as promessas. Deus não concede senão a quem reza e reza com perseverança. A oração consiste propriamente na elevação da alma a Deus.

A oração à luz da Bíblia
As Sagradas Escrituras são ricas em passagens que reforçam a prática da oração. Eis algumas delas:

Citação Bíblica

Localização
É preciso rezar sempre e nunca descuidar
Lc 18, 1
Vigiai e orai para não cairdes em tentação
Mt 25,41
Pedi e dar-se-vos-á
Mt 7,7
Chama por mim, e eu te ouvirei
Jr 33, 3
Invoca-me e eu te livrarei
Sl 49, 15
Vosso Pai que está nos céus dará bens aos que lhe pedirem
Mt 7,11
Todo aquele que pede, recebe; todo o que busca, acha
Lc 11,10
Tudo o que pedirdes orando, crede que haveis de receber e que assim vos sucederá
Mc 11,24
Vinde a mim todos os que trabalhais e vos achais carregados e eu vos aliviarei
Mt 11, 28
A oração é alimento para a alma

São João Crisóstomo dizia: “assim como a alma dá a vida ao corpo, assim também a oração mantém a vida da alma. Assim como o corpo não pode viver sem a alma, assim a alma sem a oração está morta e exala mau cheiro”. Portanto enquanto a comida é o alimento para o corpo, a oração é o alimento para a alma.

A oração é uma arma
A oração é a mais poderosa arma para nos defendermos dos nossos inimigos. Adão pecou porque não rezou quando foi tentado.

Necessidade da oração.
Deus sabe como a oração é útil para conservar a humildade e para exercer a confiança. São Francisco de Assis já dizia que sem a oração, nunca pode uma alma produzir bons frutos. Já São João Crisostomo dizia que o homem mais poderoso é o que reza. Rezemos orações curtas, mas fervorosas! Se não nos salvarmos, a culpa é nossa.

Intercessão dos Santos
Conforme o Concílio de Trento, é lícito e útil invocar santos como intercessores, para ele suplicarem, pelos merecimentos de Nosso Senhor Jesus Cristo, o que nós por nossos deméritos não somos dignos de receber.

A oração e as almas do purgatório
São Tomas afirmava que as almas do purgatório estão em estado de expiação, e, por isso, são inferiores a nós. Não se acham em condição de rezar por nós, mas, pelo contrário, necessitam de nossas orações. Manda a caridade que socorramos o próximo em suas necessidades, incluindo-se aqui as benditas almas do purgatório. Elas, apesar de não estarem mas nesta vida, nem por isso deixam de pertencer à comunhão dos santos. Santo Agostinho já dizia que as almas dos fiéis defuntos não estão separada da Igreja. Aqui vai um lembrete, segundo São Boaventura, que afirmava que as almas do purgatório são tão pobres que não podem satisfazer por si próprias à justiça divina.

Nós, com os nossos sufrágios e, principalmente com as orações recomendadas pela Igreja, bem podemos auxiliar aquelas santas almas. Se algum de nós obtiver, com suas orações, a salvação de uma alma do purgatório e a sua entrada no céu, essa alma dirá a Deus: “Senhor, não permitais se perca quem me livrou das chamas do purgatório”. Santo Agostinho já dizia que quem nesta vida mais socorrer as almas do purgatório, Deus fará com que seja também socorrido por outro, quando estiver lá no meio daquelas chamas.

Deus nos atende a qualquer hora
São João Crisostomo já dizia que Deus está sempre pronto a ouvir a voz de seus servos e nunca acontecerá que não atenda, sendo invocado como convém. Ele dizia ainda que quando rezamos, antes de terminarmos a exposição de nossas súplicas, Deus já nos atende

O grande papel das súplicas
Todo o nosso cuidado deve consistir em rezarmos com confiança, certos de que, orando, estarão para nós abertos todos os tesouros do céu. S.João Boaventura dizia que todas as vezes que o homem recorre devotamente ao Senhor pela oração, ganha bens que valem mais do que todo o mundo.
Santo Agostinho também dizia que algumas almas devotas empregam muito tempo em ler e meditar, mas pouco se ocupam com as súplicas. Não resta dúvida que a leitura espiritual e a meditação das verdades eternas sejam coisas de utilidade, mais muito mais úteis são as súplicas. Ele dizia ainda que melhor é rezar do que ler: na leitura ficamos conhecendo o que devemos fazer, mas na oração recebemos o que pedimos.

Condições da oração
Rezemos por nós mesmos
Rezemos muito pela conversão dos pecadores
Peçamos as graças necessárias à salvação (os bens temporais não são necessárias à salvação)
Quem pede a Deus humilde e confiadamente coisas necessárias para esta vida, ora é ouvido por misericórdia e ora não é atendido por misericórdia; pois, do que o doente tem necessidade, melhor sabe o médico do que o doente (S. Agostinho)
Quando Deus nos atende é sempre para nosso maior bem
Que rezemos com devoção e perseverança. Com devoção, quer dizer, com humildade e confiança; com perseverança, que dizer, sem deixar de rezar até a morte (S. Tomás)
Considerar que Deus ouve a oração dos humildes e repele a dos orgulhosos.
Lembrar que, por mais carregada que esteja uma alma de pecados, Deus não pode desprezar um coração quem se humilha.
Pedir com fé e sem hesitação alguma;
Considerar que jamais se perdeu quem confiou em Deus
Ter em mente que nenhum pecador arrependido pediu ao Senhor benefícios, sem receber o que desejava.
Considerar, finalmente, que a graça da oração é concedida a todos; Ele quer a salvação de todos e Ele ama os que nele confiam.


VÍDEOS INDICADOS POR NOSSO BLOG

Normas de Comportamento para os Fiéis em Celebrações Católicas


Normas de Comportamento para os Fiéis em Celebrações Católicas


Vinde a mim, mas bem comportados!

Uma editora italiana lançou um livro com normas de comportamento para os fiéis: “Um pouco de etiqueta não faz mal". São orientações para os que forem participar de atos religiosos. Dessas orientações, escolho algumas. Os comentários são meus.

1ª-"Cuide da casa de Deus como se ela fosse a sua casa.”

Nossas Igrejas são construídas com a colaboração de toda a comunidade. Quem já participou de uma comissão de construção sabe quanto sacrifício é necessário até se chegar à sua inauguração. Também a manutenção de uma Igreja exige muita atenção e gastos. Por isso, cuidar do que foi conseguido com muito trabalho é um respeito para com os que colaboraram, além, é claro, de ser uma demonstração de atenção para com uma obra que passou a ser consagrada ao Senhor.

2ª-"Quando entrar numa Igreja cumprimente o dono da casa.”

A casa do Senhor é uma casa de oração. Não entramos nela para nos desligar das preocupações do mundo; entramos ali para levar ao Senhor nossas preocupações e colocá-las em Suas Mãos; entramos para louvá-Lo e agradecer-Lhe os dons recebidos; ou, humildemente, para pedirmos Seu perdão por nossas infidelidades. Na Igreja, o Senhor deve ser o centro de nossas atenções.

3ª-"Vista-se com decência, quando participar de uma cerimônia religiosa.”

Deveria ser óbvio, mas para algumas pessoas não o é: nem toda roupa é adequada para qualquer lugar. Ninguém vai à praia de "smoking" nem ao cinema em trajes de banho. Há roupas que podem ser adequadas para uma festa de aniversário, mas não servem para se ir ao velório. Um pouco de bom senso (e de respeito!) não faria nada mal, quando se trata de pensar na roupa a ser usada em uma celebração religiosa - em casamentos, inclusive!

4ª-"Procure chegar na hora certa!

Normalmente, as celebrações começam na hora marcada. Esse "normalmente" vai por conta dos casamentos, cujos horários acabam dependendo das noivas (leia-se: cabeleireiras, arrumadeiras etc.). Para uma boa participação, é importante a concentração. Chegar antes é garantir a possibilidade de um tempo para a oração pessoal. Nesse ponto, um pouco de organização da própria vida só trará benefícios para a fé.

5ª-"Participe ativamente de todo o ato religioso.”

As celebrações são expressões da oração comunitária. Jesus nos garantiu Sua presença quando duas ou três pessoas se reunirem em Seu Nome (cf. Mt 18,20). Imagine-se a força de Sua presença quando formos quinhentos, mil ou dois mil. Por isso, é importante nossa expressão de unidade com todos os que estão ali conosco, naquele momento de prece.

6ª-"Tome conta das crianças, para evitar que elas perturbem muito.”

É bom, é muito bom levar as crianças para a Igreja. Elas têm uma incrível capacidade de relacionar-se com Deus - basta que alguém as eduque para isso. Que elas nem sempre se sentem à vontade em uma celebração, também é normal. O que não convém é permitir que elas, sistematicamente, distraiam os que estão em sua proximidade. Afinal, são simpáticas, bonitas e engraçadinhas, e prendem mais a atenção do que o melhor orador, mesmo que sacro...

7ª-"Terminada a Celebração, colabore com o clima de concentração e oração do ambiente.”

Quantas pessoas, terminada a Missa ou outra Celebração, gostam de ficar na Igreja. E isso é bom! A Igreja tem o dom de facilitar a oração e, num mundo tão dispersivo como o nosso, é importante que se aproveite ao máximo as oportunidades que nos forem concedidas para momentos assim. No Templo de Jerusalém, Jesus lembrou as Palavras do Salmista: "Minha casa é uma casa de oração” (Mt 21, 13).

8ª-”Lembre-se de desligar o celular antes de começar a Celebração”! "

Preciso fazer algum comentário?... Não preciso, mas aproveito para fazer uma pergunta: há algo que distrai (ou irrita) mais, em uma Celebração, do que o toque de um celular?...
Em síntese: uma Celebração religiosa não é apenas um ato religioso; é, também, um ato social. É possível que, lendo essas regras de etiqueta, você pense em outras que poderiam ser acrescentadas. Se for o caso - e tiver a sua colaboração! - voltarei ao assunto...


Autor: Dom Murilo S. R. Krieger (Arcebispo de São Salvador da Bahia e Primaz do Brasil).


VÍDEOS INDICADOS POR NOSSO BLOG
Início Div flutuante centro da tela.Liturgia CNBB } Div flutuante esquerda da tela.Áudio da Missa } }